Ariranhas

A ariranha
A ariranha (Pteronura brasiliensis) pertencem à subfamília das lontras (Lutrinae) e é a maior dentre as 13 espécies de lontras existentes.

As ariranhas ocorrem apenas na América do Sul e se alimentam principalmente de peixes, mas podem consumir também caranguejos, sapos, cobras, lagartos e jacarés.

As ariranhas vivem em grupos de 2 a 20 indivíduos, compostos por um casal reprodutor e vários indivíduos jovens de diferentes idades, que ajudam na criação dos filhotes pequenos.

Suas locas (como são chamadas as tocas das ariranhas) são construídas ao longo dos barrancos de rios e baías e são utilizadas para proteção, descanso, reprodução e cuidado dos filhotes.

Além disso, o grupo utiliza latrinas, que são uma espécie de banheiro coletivo, que serve para marcar o território com seu cheiro característico.

Os territórios dos grupos têm em média 10 km de extensão linear e são marcados diariamente pelos componentes do grupo, com sinais de cheiro depositados ao longo dos barrancos. Durante o período de chuva, quando o nível dos rios sobe, os territórios podem aumentar até 3 vezes ou mais.
Os sinais de cheiro são uma das formas utilizadas pelas ariranhas para se comunicarem. Se um grupo ultrapassar os limites de seu território, pode perceber pelo cheiro que entrou em uma área que já tem dono.

Encontros entre grupos rivais geralmente terminam em brigas violentas e barulhentas.


Ariranhas também utilizam um repertório vocal com até 15 tipos de sons diferentes para se comunicar. Veja mais sobre o comportamento e alguns dos sons que ariranhas utilizam para se comunicarem: Ver arquivo com os comportamentos e sons.

 

Para conhecer mais sobre a espécie leia também as publicações do nosso grupo.