Ameaças

Ariranhas são consideradas globalmente em perigo de extinção (IUCN Red List) e precisam da sua ajuda.

Até o início da década de 1990, a caça para a comercialização de peles reduziu drasticamente a população de ariranhas no Brasil. No Brasil populações viáveis da espécie ocorrem em algumas regiões da Bacia Amazônica e no Pantanal. No Cerrado, a população de ariranhas que ainda persiste parece se limitar à bacia do rio Tocantins.

A população do Pantanal está no limite sul de distribuição da espécie e, além disso, apresenta a menor diversidade genética.

A perda e degradação de habitat pelas atividades humanas é hoje a maior ameaça para a espécie. Ao longo de toda a sua distribuição, populações de ariranhas estão sendo dizimadas pela contaminação dos rios e destruição da mata ciliar provocadas pelo garimpo de ouro, agricultura e outros empreendimentos humanos. Hidrelétricas podem isolar populações e descaracterizar o ambiente, alterando a disponibilidade de recursos. Conflitos humanos com a espécie também são comuns e muitas vezes são motivados pela ideia simplista de que a espécie é competidora pelo pescado ou perigosa.

O turismo mal manejado também é uma ameaça. O tráfego e a aproximação de embarcações podem afugentar o grupo ou ainda afetar a sobrevivência de filhotes.