Comportamento

Chamado/Som: grito agudo
O grupo de ariranhas é muito coeso, ou seja, realiza praticamente todas as atividades em conjunto. Quando um indivíduo se afasta do grupo e se sente perdido, ele vocaliza com gritos agudos ou “chamado de adulto” , chamando os demais.

Chamado/Som: grito agudo
Quando alguma novidade aparece no seu território, as ariranhas se aproximam com curiosidade, expondo seus longos pescoços e exibindo as manchas que ocorrem na região de sua garganta e peito. Se houver algum intruso, elas vão investiga-lo, emitindo sons ruidosos e pulsados, chamados de “bufo“. Estas vocalizações podem se intensificar em volume e frequência. O bufo explosivo pode representar um alerta para os demais indivíduos do grupo, que acabam abandonando a área.

Marcação Som: ronronado e mumúrios
Ariranhas são territoriais, ou seja, defendem com determinação o trecho de rio onde vivem. Os grupos patrulham o seu território diariamente e escolhem locais específicos ao longo dos barrancos para deixar seu cheiro e sinalizar a sua propriedade para outras ariranhas intrusas. Durante a marcação de território todos os indivíduos defecam e urinam em latrinas (banheiros coletivos localizados nos barrancos), ronronando enquanto espalham o cheiro pelo local. O ronronado pode se intensificar e ser intercalado por sons mais agudos como os “mumúrios” e “murmúrios agudos”, que são ainda mais fortes.

Agonismo, briga/ Som: bufos, gritos agudos e choros
Quando um indivíduo ou um grupo intruso de ariranhas é detectado pelo grupo residente, uma disputa pode acontecer. É o que os biólogos chamam de “encontro agonístico”, e pode ocorrer na forma de longas perseguições e até violentos confrontos físicos, acompanhados por um coro de gritos e chamados agudos estridentes, intercalados por bufos. As ariranhas podem se ferir gravemente nestas brigas e algumas podem até morrer em decorrência dos ferimentos.

Defesa da comida/ Som: rosnado
Apesar de realizarem praticamente todas as atividades em conjunto, ariranhas não dividem sua comida com seus amigos. Quando uma ariranha se aproximar de outra que estiver devorando um delicioso peixe, ela ouvirá um rosnado intimidador que pode ficar cada vez mais forte se ela continuar se aproximando.

Cuidado dos filhotes/ Sons: murmúrios, zunidos, ronronados e murmúrios agudos
Em um grupo de ariranhas, apenas o casal dominante reproduz, mas todos os demais indivíduos ajudam no cuidado dos filhotes. Após a terceira semana de vida, os adultos começam a carregar os filhotes para fora da toca, para receber os primeiros banhos e aulas de natação. Alguns adultos são mais desajeitados que outros, mas esse aprendizado é fundamental para o sucesso dos filhotes. Durante as atividades é comum ouvir ronronados e murmúrios discretos, intercalados por murmúrios agudos vocalizados pelos adultos, que podem se intensificar se os filhotes não obedecerem. Os filhotes, por sua vez, choramingam e vocalizam gritinhos estridentes durante os banhos. Mas é durante a aula de pescaria que os adultos têm o maior trabalho, principalmente quando a ninhada estiver faminta. Filhotes recebem pequenos peixes ainda vivos próximos às margens para aprender a capturá-los, mas nem sempre a captura é bem sucedida e o filhote vocaliza gritos ainda mais estridentes até saciar sua fome.