Equipe

Equipe Técnica

Caroline Leuchtenberger – Bióloga. Coordenadora e fundadora do Projeto Ariranhas e professora no Instituto Federal Farroupilha. Desde 2006 vem conduzindo atividades de pesquisa com a espécie, que foi seu objeto de estudo durante o mestrado e o doutorado. A partir de 2013 passou a ser coordenadora da espécie no grupo de especialistas em Lontras da IUCN. Carol também assessorou o desenvolvimento do Plano de Ação Nacional para Conservação de Ariranhas junto ao ICMBio e o Plano Estratégico Global de Conservação de Lontras realizado pela IUCN. Além disso, Carol participa do projeto de reintrodução de ariranhas coordenado pelo grupo CLT (Conservation Land Trust) e realizado em Iberá, na Argentina.

Abigail Martin – Zoóloga Americana. Em 2015 Abbie criou o Projeto “Jaguar Identification Project”, na inspiração de adicionar valor à maior planície de inundação do mundo, o Pantanal. O “Jaguar ID Project” usa ciência cidadã e armadilhas fotográficas para monitorar a ecologia e o comportamento da população de onças da região do Parque Estadual Encontro das Águas e Porto Jofre no Pantanal Norte. Durante os anos que vem observando onças ao longo dos rios da região, Abbie também segue os grupos de ariranhas, contribuindo com informações sobre a espécie e monitorando os grupos focais do nosso Projeto. Aliado a isso, sua experiência com a comunidade local e com a identificação de onças vem contribuindo para as ações do Projeto Ariranhas.

Grazielle Soresini – Veterinária, especialista em Clínica Médica e Cirúrgica de Animais Selvagens e mestre em Ciência Animal. Em 2019 Grazi finalizou seu doutorado em Ecologia e Conservação pela UFMS, realizando sua tese sobre genética e saúde de ariranhas. Atuou profissionalmente realizando atendimento veterinário clínico e cirúrgico em aves, répteis e mamíferos silvestres em diversas instituições. Sócia da Clínica Vida Livre – Medicina de Animais Selvagens (Curitiba/PR), primeira clínica veterinária do Brasil especializada em animais selvagens. Desde 2015 vem atuando em atividades de campo e monitoramento de grupos de ariranhas no Pantanal. É membro voluntário do Grupo de Especialistas em Lontras da IUCN (Otter Specialist Group) desde 2016.

Nathalie Foerster – Bióloga e atualmente aluna de doutorado do Programa de Pós Graduação em Ecologia e Conservação da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Nathalie vem desenvolvendo sua tese de doutorado sobre ecologia comportamental e bioacústica de ariranhas na região do Miranda no Pantanal do Mato Grosso do Sul.

Samara Almeida – bióloga e mestre em Ciências Biológicas, trabalha há 6 anos com ariranhas no estado do Tocantins, atuando na área de Conservação, Monitoramento, Educação ambiental, Comunicação e Comportamento animal. Atualmente Samara coordena uma pesquisa sobre comunicação acústica de ariranhas no Parque Estadual do Cantão, Tocantins, que faz parte da sua tese de doutorado.

Lívia de Almeida Rodrigues – Bióloga e Analista Ambiental do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros do ICMBio (ICMBio/CENAP). Começou a trabalhar com ecologia de lontras no estado do Rio de Janeiro em 2002. Desde 2011 Lívia atua na elaboração de estratégias de conservação da fauna brasileira ameaçada de extinção e em 2015 passou a coordenar o Plano de Ação Nacional da Ariranha e o processo de avaliação do risco de extinção para os carnívoros brasileiros. É membro do Grupo de Especialista de lontras da IUCN. 

Karen Arine Souza – Ecóloga, Guia de Turismo naturalista há 10 anos, começou a guiar no Pantanal de MS e depois se mudou para o Mato Grosso do Sul. Em 2020 trabalhou no “Jaguar ID Project”, coletando dados para a conservação da Onça-pintada e avaliando a população no período pós-incêndio. Atualmente Karen participa do Projeto Ariranha, atuando em ações direcionadas às comunidades tradicionais no Pantanal. Karen é membra fundadora da Associação de Turismo do Pantanal Norte (Aecopan), tendo atuado como diretora administrativa de 2015 a 2017 e atualmente é membra do conselho. A associação tem como objetivo conservar o Pantanal Norte, utilizando o ecoturismo como ferramenta de desenvolvimento socioambiental, visando as boas práticas e a sustentabilidade de todas as suas atividades.

Mariana Malzoni Furtado – Veterinária, formada em 2002 pela Universidade de São Paulo, com doutorado em Ciências em 2010 pelo Programa de Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses do VPS/USP e pós-doutorado em Epidemiologia Animal em 2014. Atua há mais de 18 anos na Conservação de Animais Silvestres em diferentes biomas brasileiros como Pantanal, Amazônia, Cerrado e Caatinga, com ênfase em Medicina da Conservação, Epidemiologia Animal, Doenças Infecciosas e Interação entre animais domésticos e silvestres. Pesquisadora do Instituto Onça Pintada de 2003 a 2014, contribuiu em projetos de pesquisa em conservação de animais silvestres atuando como médica veterinária e gerente de Medicina da Conservação. Possui experiência com diferentes métodos de captura de animais silvestres de vida livre, tendo anestesiado e manejado mais de 200 animais de diferentes espécies, incluindo onça-pintada, lobo-guará, ariranha, jaguatirica, gato-palheiro, cachorro-do-mato, queixada, tatu-canastra, entre outros. Colabora desde 2007 com projetos de pesquisa com ariranhas, realizando capturas e cirurgias para implante de radio transmissor e avaliação sanitária da espécie. Sempre estudando, publicando e contribuindo para a disseminação da Medicina da Conservação e importância de estudos epidemiológicos em animais silvestres.

Colaboradores

Nicole Duplaix – doutora em Ecologia pela Universidade de Paris, França. Nicole estudou lontras por 45 anos e agora está focada em pesquisa e conservação de lontras na Asia e América do Sul. Ela é fundadora e co-presidente do grupo de especialistas em lontra da IUCN-SSC – a autoridade global em conservação de lontras. Ela leciona cursos de Biologia da Conservação e Planejamento de Recuperação de Espécies na Oregon State University.

Fernando Rodrigo Tortato – Doutor em Ecologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Federal de Mato Grosso.
Fernando é pesquisador associado da ONG Panthera e atua há mais de 10 anos em projetos voltados à conservação da onça-pintada. Em seu doutorado avaliou como a atividade de turismo pode representar uma ferramenta para conservação da onça-pintada no Pantanal. Em suas atividades de campo no Pantanal, é muito frequente a observação de ariranhas. Fernando tem interesse em entender como a atividade de turismo pode afetar o comportamento e sobrevivência destes incríveis mustelídeos. Fernando desempenha o papel de colaborador do Projeto Ariranhas, auxiliando no contato com lideranças locais, apoio logístico e na divulgação das ações desenvolvidas.

Letícia Graciano – ilustradora e arte educadora, graduada em Artes Visuais pela Universidade Estadual de Campinas. Pesquisadora da cultura da infância, trabalhou em algumas ongs no estado de São Paulo proporcionando vivências artísticas para crianças e adolescentes. Convive com populações rurais, além de acompanhar e participar de projetos de conservação no Brasil há alguns anos.

George Leandro – Biólogo, Sanitarista, viveu e atuou profissionalmente em alguns estados do Brasil, possui experiência com gestão de UC e conservação de espécies ameaçadas. Morou e trabalhou com populações tradicionais em áreas isoladas, além de ter participado de projetos e ações sociais em áreas urbanas e rurais.


%d blogueiros gostam disto: